A multidão ordeira de Paul McCartney

Apesar da ansiedade, a multidão de nova-iorquinos invadiu o Sul do Bronx de modo ordeiro na noite da última sexta-feira. Eles se encaminharam para testemunhar um feito inédito: a apresentação de Paul McCartney no Yankee Stadium. Paul havia se apresentado com os Beatles em outro estádio, The Shea Stadium, casa do time rival – The Mets. O ano era 1965. Até hoje há quem questione a escolha do lugar, que à epoca recebeu 55 mil pessoas. Se Beatles é sinônimo de música, New York Yankees é de beisebol.

Não à toa, a primeira piada da noite foi com Derek Jeter, jogador do Yankees, que completou a marca de 3 mil rebatidas. Ele é o primeiro rebator do time de Nova York e e o vigésimo oitavo da história a atingir a marca. Paul perguntou para a multidão: “Quem é esse tal de Jeter? Ele tem mais hits do que eu?” Hit pode significar tanto rebatida quanto música de sucesso estrondoso.

O público de idades variadas ficou satisfeito com a boa energia do showman maratonista Paul McCartney, que mais parece um garoto inglês de 69 anos. Essa foi a primeira apresentação de uma turnê por estádios dos Estados Unidos e Canadá. A cidade queria muito vê-lo – ingressos para a primeira fila estavam à venda, no mercado negro, por US$ 10 mil dólares. Os preços originais das entradas, que se esgotaram em 10 minutos, iam de US$ 30 a US$ 279,50. O show começou às 20h30 de Nova York. Durou mais de duas horas e meia. A intensidade foi alta e manteve-se assim até o fim das 35 músicas tocadas por Paul.

O repertório, parecido com aquele tocado pelo compositor no Mets’ Citi Field (Nova York), em 2009, contempla toda a extensão da sua carreira – Beatles, The Wings, discos solo. As composições que fizeram mais sucesso foram as da banda de Liverpool. Paul homenageou John Lennon com Here Today e George Harrison com Something, na primeira parte da qual tocou ukelele.

Além do instrumento havaiano, ele tocou guitarra, baixo e piano, do qual levantou ao fim de cada música para saudar o público. Tudo funcionou bem no Yankee Stadium, apesar das filas para ir ao banheiro, chegar à cerveja e comprar cachorro quente.

Aclamado pelo público, Paul voltou três vezes ao palco, interpretando Yesterday, Lady Madonna, Carry That Weight e The End. Na saída do estádio, sem nenhuma confusão o público escoou de volta para casa, uns de carro, outros de metrô. A prefeitura colocou mais trens em funcionamento para absorver a massa de fãs. Quem foi para casa conseguiu até chegar cedo. A ansiedade foi aplacada.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s